Loading

Brincadeira é coisa Séria

Adultos estudam e trabalham e crianças brincam. Por que enquanto os adultos estão vendo um programa “importante” na TV, trabalhando no computador ou lendo um livro, exigem que a criança fique em silêncio ou pelo menos “não atrapalhe”? Mas quando a criança está assistindo um desenho importante, onde está aprendendo a cantar uma nova música, tem que parar imediatamente porque está na hora do banho? Ou quando está “lendo” um livrinho, o adulto diz para guardar bem rápido porque tem que sair?

Ou ainda, no meio de uma construção, que exige concentração e muita dedicação, alguém chega e diz para guardar tudo porque agora a sala tem que ser limpa? Bem, apenas alguns exemplos de que, muitas vezes, o adulto exige sem dar em troca e principal, sem respeitar e valorizar o “trabalho” da criança – BRINCAR.

Ao brincar a criança constrói, não só conhecimento, mas uma maneira de ver o mundo. Sua imaginação transforma uma colher em pá de pedreiro, ou em microfone ou ainda em pincel para colorir seu dia. Enquanto brinca de enfileirar carrinhos, descobre noções de tamanho, espaço, cores, formas, imagina um congestionamento “daqueles” e, bem, reproduz o comportamento dos pais nesta situação (calma, gritos, raiva) Ao brincar com as bonecas, cria uma dinâmica familiar ideal, redefinindo os papéis de cada membro da família ou, procura soluções para os conflitos do dia-a-dia.

Aos adultos, fica a mensagem:

Respeite o brincar da criança, assim ela aprenderá, aos poucos, a respeitar seu trabalho.

Ah! Lembrem-se também de interagir com ela, isso tornará seu brincar ainda mais rico e produtivo. Quando for a hora de encerrar a brincadeira, avise previamente, dando-lhe oportunidade de concluir seu trabalho para, então, guarda-lo e estar pronta para a próxima tarefa do dia.

Maria Helena Jansen de Mello Keinert. - Psicóloga – CRP 08/1252

Voltar

Rua Saldanha Marinho, 1836 e 1884 / Curitiba - PR