Loading

Cadeirinha De Pensar

Um item básico na Educação Infantil é a “cadeirinha de pensar” Não pode faltar em casa , na Escola a na casa da vovó.

Nada moderno, também ultrapassada. Nem confortável. Apenas um cantinho para sossegar, tranqüilizar e tentar entender o que aconteceu de “inadequado”. Às vezes, a criança é convidada para sentar na cadeirinha porque não cumpriu um combinado: correr fora de hora, brigar com o amigo, estragar um brinquedo do amigo, enfim, algo que ela já sabia que não poderia acontecer. Os combinados requerem, obviamente, acordos prévios, portanto somente valem as situações conhecidas das crianças.

E, neste momento em que alguma coisa dá errado, a cadeirinha de pensar auxilia a criança a compreender o ocorrido, além de descobrir que nossos atos apresentam conseqüências.

Esta maneira de agir, do adulto visa sempre auxiliar a criança e portanto, será este próprio adulto que dirá qual o momento de sair da cadeirinha. Quando a criança sai sozinha, sem tal autorização, o ciclo não se completa, pois é fundamental que, o adulto que solicitou que fosse “pensar”, diga que já pode sair (ou a própria criança diz: “Já pensei! Posso sair?”), pois este será o momento de conversar sobre a situação para que não se repita.

Pensar é muito bom, principalmente quando nos faz refletir sobre uma atitude e/ ou comportamento inadequado.

E os pais podem utilizar este recurso, sem exageros é claro, pois as crianças mostram-se colaboradoras, entendendo bem o processo.

Voltar

Rua Saldanha Marinho, 1836 e 1884 / Curitiba - PR