Loading

Meu Filho Não Para! Ele É Hiperativo?

Hoje temos um número imenso de crianças chamadas de hiperativas, mas são mesmo? Vamos diferenciar três tipos de crianças, para que possamos compreender melhor o que é hiperatividade.

CRIANÇA DE DOIS ANOS:

  • A - não obedece quando pedem para descer do sofá; chora para ir para o banho e chora para sair dele; se joga no chão quando não ganha o brinquedo no supermercado; espalha os brinquedos pela sala/quarto/cozinha e não quer ajudar a juntar; não quer dar a mão para andar na rua e se o adulto tenta pegar, se joga no chão e grita;
  • B – no banho sempre faz a maior bagunça, canta, brinca, joga água, briga para sair; se vai ao parque corre, quer ver tudo, faz o papai e a mamãe suarem; se está no quarto brincando, logo larga tudo e vai fazer outra coisa;
  • C - não dorme bem, se bate, tem sono agitado; não consegue parar sentada na hora das refeições; mesmo quando a brincadeira está legal não permanece brincando; não “ouve” quando é chamada (com frequência); corre pela casa sem estar brincando efetivamente de alguma coisa; não “consegue” ficar no colo; muitas vezes parece estar irritada.

Agora vamos tentar diferenciá-las:

  • A - será que estamos conseguindo colocar limites? Parece que é isto que está faltando, mas mesmo assim, podemos conversar com a Escola e saber seu comportamento, para verificar se ela consegue manter-se em atividade, parar quando solicitado e responder a ordens simples. Desta forma, poderemos definir se ela está com alguma dificuldade ou nós...
  • B - esta deve ser uma criança agitada. Como é o pai? E a mãe? Tem tios, avós e/ou primos que também são agitados? Seu dia-a-dia é agitado? Sua família consegue sentar junta para almoçar ou jantar calmamente ou tudo em casa é corrido e ansioso? Bem, esta criança pode ser agitada e/ou viver numa família agitada. Neste caso podemos rever como está o funcionamento da dinâmica familiar e tentar reorganizá-lo. Também podemos pensar em atividades que auxiliem a criança a liberar tanta energia.
  • C - realmente neste caso teremos que avaliar a possibilidade de hiperatividade. Vamos considerar que os pais (e a babá, a vovó...) colocam limites, que a família tem uma rotina organizada, e que tudo aquilo acontece. A criança hiperativa está sempre em movimento, agita pés e mãos quando sentada, se mexe na cadeira (quando consegue ficar sentada), corre demais mesmo em situações em que isto não é adequado, não brinca sozinha e não permanece na brincadeira com os outros, está sempre “a todo vapor”, fala demasiadamente. Muitas vezes tem dificuldade no sono, sendo este entrecortado e agitado. Em função de tanta agitação, demonstra não prestar atenção ao que falamos, mas sempre sabe de tudo.

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade-Impulsividade (DSM-5 314/ CID10- F 90) é caracterizado por um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade, que interfere no funcionamento e no desenvolvimento e, que tem duração de, no mínimo, seis meses.

A desatenção pode ser observada através da dificuldade em manter a atenção em tarefas ou mesmo brincadeiras, não seguir instruções, não responder adequadamente a ordens simples, esquecer/perder objetos, materiais, roupas com freqüência. A criança (ou adulto) desatenta tem dificuldade em manter o foco em conversas, filmes, etc. Pode mostrar-se desleixado por dificuldade em se organizar, gerenciar mal o tempo, cumprir prazos. Com frequência esquece de realizar tarefas, pagar contas, retornar uma ligação, ou mesmo datas importantes em sua vida.

A hiperatividade e impulsividade são caracterizadas pela dificuldade em manter-se sentada, parada, sendo muitas vezes observado o batucar de dedos, balanças as pernas. Parece ser difícil envolver-se em atividades de lazer calmas, sendo muito mais interessada em atividades agitadas e/ou demonstrar inquietude. Em algumas situações parece que o “motor está sempre ligado no 220V”, com dificuldade em aguardar a vez. Pode falar muito, interromper os outros, antecipar uma resposta antes de acabar de ouvir a pergunta.

Existem subtipos de TDAH, com um quadro desatento, sem apresentar hiperatividade-impulsividade, ou um quadro de hiperatividade-impulsividade, sem desatenção, ou ainda, a combinação de ambos.

A irritabilidade é uma característica que pode estar associada, como também a dificuldade em lidar com frustrações. É muito importante observar que tais comportamentos podem gerar dificuldades na escola, tanto nos relacionamentos como na aprendizagem. A criança com TDAH pode desenvolver problemas nos relacionamentos interpessoais, porque nem sempre o grupo consegue ou quer acompanhar sua velocidade, ou a rapidez com que troca de brincadeira, muitas vezes sem encerrar a anterior.

Tentamos ilustrar as diferenças entre os três tipos de criança, mas lembramos que, na duvida devemos buscar mais informações com a Escola, o pediatra, sendo necessário em alguns casos uma avaliação psicológica e neuropediátrica para o diagnóstico correto.

Voltar

Rua Saldanha Marinho, 1836 e 1884 / Curitiba - PR