Loading

Meu Filho Roubou ???

Como funciona a noção de propriedade para a criança? Se ela “pega” um brinquedo do amigo ou da Escola, isto significa que ela roubou?

Que a criança tem um comportamento, na maioria das vezes, egocêntrico, todos nós sabemos. Por isso, tudo é dela, nada ela quer emprestar ou dividir. Agora, devemos estar conscientes, também, de que isto implica em ser dona do mundo e de tudo o que há nele. Para a criança, até os seis anos de idade ,noções de certo/errado, propriedade, regras, ainda não são cognitivamente elaboradas.

Conseqüentemente, ao pegar um objeto que não é seu e defender a idéia de que lhe pertence, a criança está testando seu conhecimento e poder sobre as pessoas e objetos, não implicando a noção de roubo. Então, cabe a nós adultos, SEM ansiedade ou pânico, auxiliar na formação destes conceitos, gradativamente. Fazer com que sinta-se culpada ou castiga-la não terá efeitos positivos. Devemos sim, desenvolver, com exemplos e situações concretas a noção de propriedade, como também, as regras sociais e éticas relativas a este assunto.

Leva-la a perceber o quanto sentiria se alguém levasse embora seu brinquedo favorito, descobrir como o objeto está fazendo falta a seu dono, são também algumas maneiras de demonstrar que não deve pegar o que não lhe pertence.

Quando a criança pegar algo que não é seu, leva-la a devolver pessoalmente, dizendo que é importante que ela mesma devolva, para que compreenda o processo e possa, gradativamente, conscientizar-se.

Outras atividades podem colaborar para o desenvolvimento deste conceito, como:

  • Jogos com regras- qualquer jogo que envolva regras simples, em que a criança precisa esperar sua vez, respeitar o outro, ganhar ou perder, auxilia na compreensão da presença e direitos das outras pessoas, como favorece a elaboração de novos conceitos;
  • Faz-de-conta- este é sempre um grande recurso, pois permite à criança colocar-se na posição do outro e perceber como se sente frente às situações;
  • Postura dos Adultos- a postura dos adultos à sua volta, sem duvida alguma, representa um grande aprendizado. Se mamãe mente para a titia que está no banho e não pode atender ao telefone, se papai conta feliz que enganou o guarda que iria multa-lo, ou qualquer outra situação se apresenta em que o adulto demonstra um comportamento eticamente incorreto, é claro que em outras situações, a criança poderá utilizar-se destes mesmos artifícios.

Enfim, como em todas as outras aprendizagens, o que vale é o modelo dos adultos e, sua paciência em ensinar repetidas vezes e com muita calma, aquilo que a criança precisa aprender.

Voltar

Rua Saldanha Marinho, 1836 e 1884 / Curitiba - PR