Loading

Pais Separados

Quando um casal se conhece, e começa a namorar, faz planos, e imagina envelhecer junto, curtindo os netos e as lembranças de toda uma vida. Mas nem sempre é isso que acontece, pois a vida às vezes muda o rumo que decidimos seguir. Quando isso acontece, devemos buscar com todas as forças maturidade para lidar com a situação, pois sempre outras pessoas estarão envolvidas : filhos, pais, amigos.

Atualmente, percebemos um maior número de separações, o que creditamos à dificuldade em partilhar, a baixa tolerância e a falta de maturidade de um dos parceiros ou de ambos. Quando decidimos nos casar, deveríamos fazer um curso, mas não aqueles que nos obrigam (se decidirmos casar na Igreja Católica). Este curso trataria de respeito, companheirismo, fidelidade, e acima de tudo amizade, pois no auge da paixão, os casais só pensam no momento, não imaginam que existirá uma rotina, problemas financeiros, cansaço, mau-humor, dor de cabeça, filhos (que são lindos, mas preocupam, choram, exigem tempo e dedicação). Mas, chegam as dificuldades e, nem sempre há disposição para enfrenta-las e solucioná-las, e muitas vezes a melhor decisão é a separação. Será que é a melhor? Bem, se o amor e o respeito acabaram, sim, é a melhor decisão. Relacionamentos mantidos por qualquer motivo diferente destes, não funcionam. E, se mantidos pelos filhos, pior ainda, pois além do sofrimento dos pais, teremos também o dos filhos, que carregarão este enorme peso : a responsabilidade de manter os pais juntos.

Pode não ser tão difícil quanto parece lidar com as questões da separação do casal, pois quando há maturidade, podem-se resolver os detalhes, sem deixar arestas para serem aparadas posteriormente.

Em primeiro lugar, DEIXEM OS FILHOS DE FORA DISTO. Quem está se separando é o papai e a mamãe, os filhos não estão fazendo opção alguma, apenas serão comunicados do que está acontecendo.

Procurem ajuda, pois muitas vezes são tantas decisões a serem tomadas, tantos detalhes práticos, outros jurídicos, que um profissional que atue com casais, famílias ou mesmo com crianças, poderia facilitar o processo.

De forma geral, respeitar os filhos é fundamental, pois eles não decidiram casar, viver junto, nem mesmo separar. Procurar decidir e apenas comunicar a criança o que vai acontecer, mostrará serenidade, e a deixara mais tranqüila e segura. Comunicar à Escola o que está acontecendo é muito importante, pois os pais terão mais um aliado para auxiliar a criança a ultrapassar este período.

Depois, é esperar o amanhã, com novas surpresas, novos amigos e a chance de ser feliz.

Voltar

Rua Saldanha Marinho, 1836 e 1884 / Curitiba - PR